Categoria: Minhas Poesias

À Arte

Minha análise do momento brasileiro:


À Arte

Há momentos nos quais a história nos coloca à beira do abismo
Com a complacência das massas ignaras, os cultivadores da morte vencem
Em busca de proteção, fazem triunfar o pai perverso
A violência se institucionaliza, a liberdade e as diferenças são massacradas
A vida torna-se um perigo e podem nos matar a qualquer instante
O medo impõe o sofrimento como condição de existência
A luz da vida boa se apaga e a escuridão parece ser infinita
Mas a dor é a maior fonte da arte, da poesia e das lutas por liberdade
É hora de tomarmos as armas da palavra, da música e da paz
Vamos cantar, vamos amar e, entre abraços e beijos, fazer política
Assim evitaremos a guerra logo à frente
Como já foi feito e talvez teremos de fazer de novo.

Nenhum comentário.

Momentos…

Há momentos na vida

Que um vendaval nos balança

Quando feito de sentimentos

Nos faz virar criança

De um lápis sai um arco-íris

De uma flor o coração balança…

Nenhum comentário.

Sublimação

Escrever1Os sofrimentos do mundo

Resolvi atirar

Nas linhas da literatura

Assim não sofro tanto

Socializando a dor

Denunciando o horror

A beleza da ficção

Sublima a emoção

Produz paz, traz alento ao coração…

Nenhum comentário.

Os Idiotas…

Somos piegas, estúpidos, idiotas na crítica da ampla maioriapasseata

Mas continuaremos a gritar que a exploração é errada

Que a violência não vale a pena

Que viemos dos primatas, mas poderemos evoluir

Sim, um mundo melhor é possível

Riem de nós, zombem, escarnem, não sentimos nada

Salvo o desejo de continuar a gritar

Que a Justiça é apenas uma palavra

Mas iremos atrás dela até os fins de nossos dias

Pois poderá se tornar conduta, produtora de ações

Nossa ingenuidade poderá se unir a outras

A maldade poderá fraquejar

E nossos gritos poderão sensibilizar

Que belo destino ser estulto contra o poder

Um néscio pela igualdade

Um mentecapto pela paz

Os homens inteligentes já mostraram o seu perigo

Continuaremos a ser pascácios, basbaques atrás da utópica revolução

Sem tiro, sem empurrão, só amor no coração

Talvez um dia, nós os loucos nos livraremos dos espertos

Talvez um dia poderemos viver a vida, com o simples prazer de viver…

4 Comentários

Paradoxo

Paradoxo ExistenciaEu sou meu paradoxo

De mim pouco sei

Surpreendo-me constantemente

Com minhas oscilações

Fantasias e ações

Da tristeza à euforia

Do amor à violência

Da saúde à doença

Nada de muita razão

Coisas desconhecidas em demasia

Várias infantis

Outras juvenis

Fazem-me esse sujeito

De desejos intensos, incompletos, frustrados, insaciáveis…

Amor, paixão, alegria, solidão, cansaço…

Nenhum comentário.