A festa….


Os fogos lá fora prenunciam choros ardentes

Dos alegres prementes, logo ali à frente

Não estou triste, mas mudado

De coração calejado, vou me importar

Não com o ideal, mas com a vida real

O que importa afinal

Senão os traços da existência

Rabiscados pelas certezas alheias

Tão certas estão, merecem sua própria razão

E eu então, por que chorar a dor?

Se alheia aos meus próprios erros

Mas vinda das verdades que me desmentem…

  1. Nenhum comentário ainda.
(não será publicado)